Mecalor investe em pós-venda tecnológico e conectado

Empresa aposta na qualidade total, com oficinas hi-tech móveis e softwares que “conversam” com equipamentos dos clientes

Embora relegado a segundo plano por parte considerável dos players do mercado do frio, os serviços de pós-venda começam a subverter esta realidade, apostando em um atendimento mais profissional e próximo do cliente, a ponto de as estratégias adotadas focarem-se na resolução de problemas em uma única visita técnica.

A paulistana Mecalor, por exemplo, saiu da Febrava 2017, realizada de 12 a 15 de setembro, com a certeza de que está no caminho certo, esperando elevar as vendas em 10% até o fim deste ano.

Às indústrias, ao varejo e aos profissionais que por lá passaram, demonstrou que é possível se destacar no setor promovendo um pós-atendimento diferenciado, que dê prioridade à qualidade total. Afinal, basta um mau atendimento para acabar com uma reputação construída ao longo do tempo.

Durante o evento, a empresa exibiu em seu estande uma oficina móvel hi-tech, totalmente customizada, desenvolvida em veículos utilizados pelos técnicos de campo. Cada unidade é munida de todo o ferramental necessário para resolver de imediato qualquer problema do equipamento do cliente.

“O conceito de atendimento em uma única visita objetiva também minimizar os prejuízos para o cliente com tempo de máquina parada”, afirma o engenheiro János Szegö, diretor-presidente da Mecalor, fabricante de chillers compactos, industriais e hospitalares, drycoolers, câmaras climáticas e climatizadores de precisão, entre outros equipamentos.

Para implementar o seu pós-venda de excelência, a empresa criou um sistema de conectividade baseado no emprego de inteligência artificial, pelo qual os softwares dos equipamentos têm a capacidade de automanutenção, identificação de possíveis falhas, eventuais consertos e alertas de problemas.

Unidade móvel Mecalor
Unidade de atendimento móvel da Mecalor em exposição na última Febrava

“A inteligência artificial implantada nos softwares minimiza o tempo de hora parada da máquina”, explica Marcelo Zimmaro, gerente de vendas da Mecalor.

“O equipamento tem capacidade de ele mesmo fazer correções de alguns defeitos e de diagnosticar erros que podem levar a interrupção”, completa.

Se o equipamento estiver conectado à internet, a máquina avisa o setor de pós-venda da Mecalor, e um técnico é enviado até o cliente já com toda a radiografia do que está acontecendo.

Os softwares embarcados nos equipamentos da empresa estabelecem uma conectividade entre a máquina, o cliente e os técnicos, permitindo manutenção remota e verificação de parâmetros de funcionamento, como temperatura, por meio da internet ou com o uso de aplicativos por celular.

Segundo a empresa, esta tecnologia própria garante o funcionamento ininterrupto de chillers de alta precisão.

János Szegö, presidente da Mecalor
János Szegö, presidente da Mecalor

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comentários

Adicionar comentário

Clique para comentar