Honeywell planeja cisão dupla até o fim de 2018

Companhia americana quer criar duas novas empresas listadas sem que investidores sejam tributados.

Com um “plano vigoroso de M&A” no horizonte, a Honeywell International Inc. se prepara para cindir parte de seus ativos em duas novas empresas listadas em bolsa. Uma das companhias deve agrupar os produtos para residências e a empresa ADI de distribuição global, enquanto a outra se dedicará ao negócio de sistemas de transporte.

Embora os negócios sejam considerados não essenciais para a companhia com sede em Nova Jersey, seu lucro anual é avaliado em US$ 7,5 bilhões. A expectativa é de que a as novas empresa sejam criadas até o fim de 2018 sem gerar novas tributações para os seus investidores.

O plano foi anunciado em meio à pressão do fundo de investimento Third Point e após uma revisão estratégica do portfólio da Honeywell. Segundo Darius Adamczyk, presidente da companhia, a simplificação do portfólio deve conferir “plataformas múltiplas para crescimento orgânico e expansão de margem”. “Honeywell também terá múltiplas alavancas para continuar a executar uma estratégia agressiva de implantação de capital, incluindo um programa vigoroso e disciplinado de M&A”, afirmou ao Law 360.

Na última sexta-feira, a Honeywell anunciou a nomeação de Brian S. Cook, que está na companhia desde 2001, como vice-presidente de desenvolvimento corporativo e chefe global de M&A.

Atualmente, todas as divisões de negócios da Honeywell possuem operações no Brasil e o país é considerado um campo em potencial para o crescimento da companhia. A empresa americana tem oito escritórios espalhados pelo território brasileiro, além de cinco instalações produtivas, incluindo um laboratório de engenharia aeroespacial em São José dos Campos.

O segmento aeroespacial da Honeywell, cujo crescimento apresentou declínio, esteve em destaque em uma carta enviada pelo Third Point a investidores, no início do ano. O fundo de investimento defendeu que a divisão fosse cindida sob o argumento de que ela era um peso para o resto da companhia e que se sairia melhor como uma empresa independente.

A cisão das duas divisões anunciada pela Honeywell, no entanto, não inclui o negócio aeroespacial. Enquanto o setor de produtos para residência e distribuição global se concentrará no mercado de equipamentos de aquecimento, ar condicionado, segurança e proteção contra incêndios,  o braço de sistemas de transporte concorrerá no setor de turbocompressores e tecnologias para motores automotivos.

 

Fonte: LexisNexis

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comentários

Adicionar comentário

Clique para comentar