Empresa realiza estudo de climatização para setor de UTI neonatal da Santa Casa de Sorocaba

O setor de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Santa Casa de Sorocaba, que está pronto desde 2010, mas inoperante, foi alvo de um estudo realizado pela Gas Natural Fenosa visando possibilitar a implantação de sistema de climatização do local. A ala — capacitada com quatro leitos, não tem sistema de ar-condicionado, o que impede o seu funcionamento. De acordo com a concessionária de gás, que iniciou os estudos quando a gestão estava sob responsabilidade da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, informou que o projeto será finalizado em julho e então entregará para a Prefeitura de Sorocaba, que requisitou o hospital há menos de um mês.

De acordo com a Gas Natural Fenosa, o sistema permitirá o controle da temperatura e qualidade do ar ambiente, prevenindo a propagação de bactérias e evitando riscos de infecções. O projeto teve investimento de cerca de R$ 400 mil e trata-se de uma iniciativa da própria empresa, realizada por meio do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) junto à Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp).

Inicialmente foram identificadas e analisadas as viabilidades técnica e econômica dos setores que receberão os equipamentos. Para que o hospital pudesse instalar um sistema adequado de climatização, convencionalmente movido à eletricidade, aponta a concessionária, seria necessário um grande investimento, além de um incremento substancial na infraestrutura de suprimento de energia elétrica, fatores que vem dificultando a execução do projeto. Foi, então, segundo a Gas Natural Fenosa, que a concessionária enxergou a possibilidade de criar um sistema de cogeração energética, resolvendo o problema do ar-condicionado e ao mesmo tempo tornando o hospital autossuficiente em energia elétrica. “Inicialmente, o projeto era apenas de controle da climatização do ambiente, mas vislumbramos a oportunidade de criar um sistema de autossuficiência energética, em que proveríamos a energia elétrica em conjunto com a climatização do ambiente”, salienta o chefe do setor de grandes consumos e soluções de mobilidade da Gas Natural Fenosa, Danilo Tonus Kostenko.

A primeira etapa será concluída em julho, quando o projeto executivo será entregue para a direção do hospital. Depois disso cabe aos gestores dar sequência à segunda parte, quando, efetivamente, será implantado o sistema. Os gestores da instituição também terão condições de fazer uma pesquisa entre as empresas do setor para a instalação dos equipamentos, ou seguir o projeto com a Gas Natural Serviços, divisão da Gas Natural Fenosa que trabalha com eficiência energética. “Nossa empresa já fornece o gás natural para a Santa Casa de Sorocaba, o que facilita a parceria para execução do projeto de climatização”, pontua Kostenko.

Fonte: Jornal Cruzeiro

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comentários

Adicionar comentário

Clique para comentar