Mais conectados e inteligentes

A revolução que a chamada Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) vem provocando em diferentes áreas da tecnologia está cada vez mais presente no mundo do ar-condicionado. Alguns modelos do aparelho, indispensável ao conforto e bem-estar nos dias atuais, agora podem ser controlados por meio de aplicativos instalados em dispositivos móveis. O usuário, portanto, decide a hora de ligar ou desligar o equipamento e ainda regula sua temperatura a distância. De olho nesse nicho em expansão, a LG fornece para o mercado brasileiro o Artcool Stylist, que funciona com a tecnologia Wi-fi Smart Control – um aplicativo para as plataformas Android e iOS capaz de, intuitivamente, ativar ou mudar a temperatura do aparelho, mesmo a longa distância.

A inovação, informa a empresa sul-coreana, mexe com os sentidos e compõe os mais diversos espaços com estilo e conforto. “O sistema de ventilação conta com três saídas, o que proporciona uma distribuição mais fluida do ar no ambiente, de maneira silenciosa e eficiente”, diz Lúcio Bacha, diretor de vendas de H&A da subsidiária brasileira.

O produto também possui iluminação em LED, com alternância de cores customizada, o que deixa o ambiente mais intimista e próximo do clima desejado pelo consumidor.

De acordo com a multinacional, a operação das luzes varia de acordo com a função determinada, incluindo, por exemplo, a função Smart Alarm, que desperta simulando gradualmente o efeito da luz do sol.

“Além disso, os ajustes de temperatura e modos de operação podem ser comandados de forma simples e intuitiva, por meio de um controle remoto com tela sensível ao toque. Tudo isso, com a alta eficiência da tecnologia Inverter”, ressalta.

Outra gigante do setor que aposta na conectividade é a Midea. A marca lançou, recentemente, o Liva Inverter Wi-Fi. Segundo a empresa, o inversor de frequência garante economia de até 40% no consumo de energia, frente aos equipamentos com compressores de rotação fixa.

“Ele vem pronto para a utilização do Sistema Wi-Fi Ready. Basta comprar o Kit-Wi-Fi, vendido separadamente, e o ar-condicionado pode ser controlado de qualquer lugar. Para isso, é só instalar, configurar, fazer o download do aplicativo MSmart em um celular ou tablet e pronto”, explica Rodrigo Teixeira, gerente de marketing de produto da Midea Carrier.

“O produto ainda possui o exclusivo sistema Ar+Puro HD, com cinco etapas de tratamento de ar, o mais avançado e completo da categoria”, acrescenta.

Neste semestre, a Electrolux lançou sua linha WI/WE, com versões frio de 9 mil BTU/h e 12 mil BTU/h. Para quem tem mais de um aparelho em um mesmo ambiente, é possível controlar cada um deles através do mesmo aplicativo, o ConnectApp, disponível nas lojas Google Play e App Store.

O condicionador de ar também possui a função Timer ON, que permite configurar não apenas o horário do início ou final do funcionamento, mas em quais dias da semana o produto deve funcionar dessa forma.

Além do ConnectApp, a linha WI/WE dispõe de uma unidade externa com saída de ar vertical, que garante maior facilidade de instalação, por ser mais leve e mais fácil de transportar. Segundo a empresa sueca, o produto tem chassi inoxidável para melhor proteção contra chuvas e ventos fortes.

Mais inovações

A preocupação com aspectos ambientais e relacionados à saúde do consumidor tem norteado os rumos da pesquisa e desenvolvimento de novos produtos nessa indústria. A Elgin, por exemplo, está investindo em uma nova linha chamada Eco Plus, que une as três características consideradas essenciais em um split: gás ecológico, classificação A no Inmetro com selo Procel e a função de ionização.

Ao que tudo indica, essas tecnologias agregam outros valores aos condicionadores de ar e tornam essa máquina que refresca – ou também aquece os ambientes, dependendo do modelo – em um item muito mais de necessidade do que luxo.

“O Ion Air funciona como um filtro ativo, no qual os íons são lançados no ar, eliminando microrganismos como vírus, ácaros e bactérias. Além desses diferenciais, o equipamento é super silencioso, tem garantia de três anos e está disponível nas capacidades de 9 mil BTU/h a 30.000 BTUh, nas versões frio e quente/frio”, diz Andrea Denise de Lima, gerente de produto da empresa brasileira.

Outra indústria que aplica em seus produtos essa inovação é a LG. Batizada de Ion Care, a tecnologia ainda facilita a absorção de agentes hidratantes. “Para dar mais sensação de conforto à pele humana, o ionizador conta com ação Skincare que, a partir da umidade remanescente do ar que passa pelo condicionador, forma partículas de água que dão esta sensação de conforto”, informa Lúcio Bacha.

Em parceria com a 3M, a empresa desenvolveu, exclusivamente, o filtro Multiproteção, em que ficam retidas micropartículas com mais eficiência que os modelos de filtros anteriores. Sua enzima, diz o executivo, ajuda na eliminação de bactérias e vírus, como o H1N1.

Para garantir a qualidade do ar, o X-Power Inverter Carrier possui sistema de tripla filtragem, com os filtros tela HD, de alta densidade, Dual Mix e Nano Silver, que retiram até 90% das impurezas do ar ambiente.

“O modelo é um importante aliado do consumidor no quesito economia de energia, principalmente por causa do aumento nas tarifas ocorrido no início do ano. Esse ar-condicionado tem excelente desempenho e conquistou Selo Procel em todas as categorias, de 9 mil BTU/h a 22.000 BTU/h, nas versões frio e quente e frio”, salienta Rodrigo Teixeira.

Além do sensor de presença inteligente Econavi, que proporciona economia adicional de energia quando o ambiente fica vazio ou com baixo nível de atividade, toda linha Panasonic possui filtro antibactéria e proteção contra corrosão da unidade condensadora.

“Para facilitar a vida dos instaladores, a função autodiagnóstico dos aparelhos permite verificar previamente pelo controle remoto que tipo de problema há no equipamento, o que evita ter de abri-lo ou subir em escadas”, destaca Luciano Valio, responsável pela área de condicionadores de ar da multinacional japonesa no País.

Os produtos da marca também dispõem de uma proteção adicional de silicone nas placas de circuito eletrônicas, para evitar possíveis defeitos em regiões com alta umidade ou outros fatores naturais, como maresia, ar e poeira.

Instalação, manutenção e limpeza

Toda a instalação de split deve ser feita por um técnico credenciado e seguir os procedimentos e recomendações do manual de instalação e instruções que acompanha o produto, ressaltam as empresas ouvidas pela Revista do Frio.

O local correto para instalação, a distância mínima de recuo entre as paredes e o teto, a instalação elétrica independente e de acordo com a potência do produto e a utilização de bomba de vácuo para garantir que a tubulação de refrigerante estará livre de umidade devem ser considerados.

O comprimento mínimo da tubulação varia de modelo para modelo. Utilizar medidas fora da faixa especificada pelo fabricante, além de prejudicar o rendimento do produto, podem elevar a vibração da tubulação e até reduzir a vida útil do equipamento.

A Elgin recomenda distância mínima de dois metros entre as unidades interna e externa, assim como a Electrolux. Já a Panasonic recomenda três metros neste quesito.

“Para que o produto funcione adequadamente pelo seu tempo de vida útil é necessário um plano de manutenção periódico, seguindo as recomendações do manual de instruções e, em casos específicos, a visita de um técnico especializado”, lembra Luciano Valio.

Pensando em apoiar e instruir os profissionais do segmento, a LG desenvolveu um novo canal de relacionamento com os instaladores de ar-condicionado. Trata-se do Programa Clima LG, o qual repassa instruções e benefícios dos produtos da empresa.

“Deixamos à disposição dos instaladores módulos de treinamento técnico, o calendário das Academias de Ar-Condicionado da LG (São Paulo e Porto Alegre), tutoriais de instalação dos aparelhos da marca e, para testar os conhecimentos dos participantes sobre instalação em geral, há no site questionários direcionados ao assunto. Estruturamos um banco de informações, conteúdos e notícias para o dia a dia dos instaladores de ar-condicionado, com troca de experiências, espaço para sugestões e, inclusive, um profissional exclusivo para esclarecer dúvidas técnicas dos participantes do programa”, detalha Lúcio Bacha.

De acordo com a Midea Carrier, a ausência de manutenção é o principal vilão da saúde, principalmente em locais de alta densidade demográfica ou próximas a ambientes em construção.

Nestes locais, é desejável que seja realizada a manutenção dos filtros de ar a cada 15 dias e, uma vez por ano, a limpeza nos trocadores de calor (serpentinas) e dutos. “Para este tipo de manutenção, é necessário contratar um profissional especializado”, recomenda Rodrigo Texeira.

“Os micro-organismos e impurezas suspensas no ar são recirculadas no ambiente climatizado, gerando proliferação de bactérias e fungos, agentes responsáveis pela maioria das doenças respiratórias”, alerta.

As unidades splits da Elgin também têm a função limpeza, na qual o ventilador funciona por mais 35 minutos após desligar o aparelho. “Assim, é possível limpar todas as gotículas de água e poeira que ficam na superfície do evaporador”, salienta a gerente de produtos da empresa, Andrea Denise de Lima, lembrando que a marca recomenda a limpeza mensal dos filtros do aparelho.

Segundo a Electrolux, o filtro de nylon dos aparelhos pode ser lavado com água corrente ou com o aspirador de pó. Já os filtros especiais, como o carvão ativado e o ultra-filter, devem ser higienizados com o auxílio do aspirador de pó.

Esses mesmos filtros, informa a companhia, também devem ser substituídos a cada quatro ou cinco meses, de acordo com recomendação de cada fabricante.

Perspectivas Nos últimos anos, o mercado de condicionadores de ar no Brasil tem sido impulsionado pelo crescimento exponencial do setor imobiliário, visto que os splits estão diretamente associados a reformas e construções.

Houve também elevação de temperatura nos últimos verões e aumento de eventos esportivos sediados no País, fatores que incrementaram os negócios para o segmento, por meio de ampliação e renovação de diversas estruturas.

Contudo, fabricantes como a Electrolux lembram que o setor foi impactado pela crise este ano, por conta dos altos custos dos componentes importados, afetando seu preço final.

“A penetração dos splits nos lares brasileiros ainda é pequena e o interesse por eles deve aumentar, porém, isso não será suficiente para repor a queda de vendas do primeiro semestre”, analisa Luciano Valio, da Panasonic.

Em geral, as perspectivas das indústrias para este ano não são muito otimistas, assim como nos demais setores da economia. “O resultado do mercado de splits vai depender muito da duração da crise econômica, mas, de qualquer forma, contamos com as altas temperaturas no verão, que podem ajudar a amenizar esse efeito negativo”, diz Andrea, da Elgin.

“Apesar da queda de 16% até o momento no mercado de splits, temos ampliado nosso market share, comparando com o ano passado”, completa a gestora.

O cenário econômico recessivo também não desanima a Midea Carrier. “Esperamos um verão quente e um consumidor mais cauteloso, buscando produtos com a melhor relação custo-benefício, em especial no quesito consumo de energia”, observa Rodrigo Teixeira.

Devido ao aumento das contas de luz, o mercado está migrando mais rápido do que o esperado dos produtos convencionais (on/off) para os aparelhos com inversores de frequência. “Em alguns países, 100% dos splits já apresentam esta tecnologia. No Brasil, a participação dessa categoria no mercado é de apenas 18%. Por isso, vemos grande potencial de crescimento nas linhas Inverter”, justifica Lúcio Bacha, da LG.

De acordo com o executivo, o mercado brasileiro de condicionadores de ar apresenta saldo positivo ao longo dos anos. De 2009 para 2014, o setor mais do que triplicou de tamanho.

“No segmento de splits, trata-se de um cenário de amadurecimento, pois o produto está em aproximadamente 16% dos lares, o que possibilita a identificação de importantes oportunidades. Vale ressaltar que a LG vem se adequando a este cenário, apresentando, nesse mesmo período, crescimento de mais de sete vezes o tamanho de 2009”, assegura.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comentários

Adicionar comentário

Clique para comentar